Fazenda, Etec e Monotrilho: uma breve análise histórica de um bairro

fazenda_da_juta_etec_de_sapopemba_9

Por Marcos Antonio Araujo

Naquela fazenda tinha um lago, as crianças brincavam e sorriam; o medo de se afogar era grande, as frutas eram tiradas do pé. A vida seguia tranquila nesse ambiente calmo e sereno. Quem passa hoje pela Avenida Sapopemba nunca irá imaginar que um dia em todo esse espaço de concreto e asfalto existia uma fazenda, cujo espaço servia para plantar uma fibra têxtil vegetal chamada juta, utilizada para ensacar produtos agrícolas, entre tantos outros. Mas o crescimento de São Paulo fez com que aquele espaço, encravado no lado leste da cidade, se tornasse uma cidade dormitório para os trabalhadores que executavam a sua atividade na área central. Mais do que isso, esse movimento não aconteceu de modo tranquilo; necessitou da luta de milhares de trabalhadores por um pedaço de chão.

Em meados da década de 80, o clima do bairro era de confronto com a polícia, barracos armados e muito sangue derramado no chão pelo sonho de ter um canto para morar. Por muito custo, foi conquistada a desapropriação do terreno, junto à Prefeitura de São Paulo. Mas a batalha estava somente no início, pois necessitava que o sonho da casa própria se tornasse realidade. Com isso, na década seguinte, os trabalhadores utilizavam os seus finais de semana de descanso para construir a tão sonhada e suada moradia, montando os mais do que organizados mutirões. Mas, para responder aos anseios dos moradores, foram necessárias construções de vários equipamentos públicos e privados, culminando na Etec de Sapopemba.

fazenda_da_juta_etec_de_sapopemba_7

O sonho de uma escola técnica na Fazenda da Juta era antigo, tornando-se concreto para toda a comunidade em 2007. Em seguida houve grande crescimento e valorização de toda a região ao ter anunciada a construção do monotrilho. Assim, novos ares, talvez um futuro cheio de esperança, com emprego, educação e saúde suficiente, tornou-se expectativa para toda a região, pois o desenvolvimento econômico e social do bairro gerou novos negócios, florescendo a semente plantada após muito suor e sacrifício.

Hoje, a Fazenda da Juta não é mais apenas um plano, uma batalha ganha ou perdida. É o resultado de muita luta que, em busca pela paz, gerou um novo caminho para tantas famílias. Acompanhada da Etec de Sapopemba e do projeto do monotrilho, toda a Juta caminha com o ar de quem alcançou a vitória e, agora, luta para ver todos os seus sonhos realizados.

Anúncios

Festa Junina da Etec de Sapopemba!

festa_junina_etec_de_sapopemba

Por Denis Le Senechal Klimiuc

Todo ano é a mesma coisa: o frio chega com o mês de junho, as igrejas preparam suas quermesses, cada escola o seu arraial e o vinho quente, quentão, canjica, milho verde, cural, pamonha e tantas outras delícias se tornam o assunto das mesas de bar e encontros familiares. E isso é muito bom! Afinal, quem não gosta de curtir uma boa festa junina e se divertir com um pouquinho de tradição?

Com esse intuito, no dia 20 de junho de 2015, das 17h00 às 22h00, o seu arraial favorito será comemorado na Festa Junina da Etec de Sapopemba! Preparada com todo o carinho em uma parceria entre alunos, professores, funcionários e toda a comunidade escolar, tal festa junina será a melhor oportunidade para você aproveitar com estilo e bom gosto essa deliciosa época do ano!

Com doces e salgados, brincadeiras, apresentações dos alunos e da banda da escola, a Kings of Juta, o dia 20 de junho será marcado por muita diversão nessa inesquecível comemoração! Aliás, que comemoração! Entre tantas apresentações e brincadeiras, você vai conferir a acirrada disputa do Mister e da Miss Caipirinha! E, enquanto você conhece um pouco mais sobre a cultura das festas juninas e como tudo se transformou no que é hoje, você também verá as fotos dos concorrentes! Venha curtir conosco!

festa_junina_etec_de_sapopemba_10

A forte cultura das festas juninas

Mais do que tradição, a cultura das festas juninas no Brasil atravessa gerações e, apesar de termos toda a tecnologia disponível em nossas mãos, conserva um grau de valores que dificilmente é quebrado pelos benefícios dos tempos modernos. Ao contrário, o brasileiro possui em suas raízes e costumes a vontade iminente de aproveitar o tempo frio de junho ao som de música caipira, sertaneja e forró, além de se deliciar com comidas típicas. Assim, então, comemoramos nosso inverno regados a festas juninas e julinas, em arraiais, quermesses e tudo o que temos direito.

Nascida há centenas de anos no hemisfério norte como parte das comemorações pagãs, a adaptação desse tipo de celebração passou por diversos processos: do início pagão, relacionado ao contato direto com a natureza, foi absorvido pelo cristianismo ao ter inserido os dias de Santo Antônio (13), São João (24) e São Pedro (29), todos comemorados em junho. Em consequência, os países com forte adesão ao catolicismo passaram a disseminar o hábito de comemorar os dias de tais santos, tornando-se, então, a criação de uma cultura. Em decorrência disso, cada país católico europeu passou a adaptar suas festas juninas de acordo com suas próprias tradições, permanecendo como uma celebração do dia dos santos citados logo acima. E, até hoje, permanecem com afinco para todos que desejam assim comemorar.

festa_junina_etec_de_sapopemba_11

O jeitinho brasileiro de transformar o que era bom em algo ainda melhor

Trazido para o Brasil pelos portugueses em plena época de colonização, o hábito da realização de festas juninas tomou conta de todo o país, com acréscimos das culturas locais, ponto forte do Brasil por sua grandiosa extensão e divergentes regionalidades, consequência que a colonização abrandada dos portugueses propôs, com a chegada de imigrantes de todas as partes do mundo. Resultado: a típica mistura de culturas neste país transformou as comemorações juninas em algo notável não só do ponto de vista folclórico, mas também turístico.

Enquanto as regiões norte e nordeste do país comemoram os dias de Santo Antônio, São João e São Pedro com celebrações que excedem as dificuldades da pobreza e da seca, transformando tal época em oportunidade de negócios e turismo, a região sudeste, por sua vez, transforma a ocasião em festas e quermesses, geralmente realizadas por igrejas, colégios, clubes e até mesmo empresas. Com isso, é notável a tradição das comemorações juninas em um país tão diversificado. Hoje, aliás, é o segundo evento mais comemorado e disseminado do país, ficando atrás apenas do Carnaval.

Por haver tantas peculiaridades que se encaixam na cultura das festas juninas e em sua época de realização, é possível compreender o porquê de tal tradição se manter intacta, apesar das liberdades poéticas dadas às músicas e alimentação oferecida em algumas regiões do país. Por exemplo: em junho é a época na qual há a colheita de milho – motivo óbvio pelo qual foram adaptados tantos alimentos.

festa_junina_etec_de_sapopemba_8

Além disso, a influência de alguns países se torna óbvia, se analisada por um momento: além dos traços religiosos e artísticos provenientes da colonização portuguesa, há os movimentos das danças marcadas francesas, as quais originaram as quadrilhas; por sua vez, o hábito dos fogos de artifício e afins vieram da cultura chinesa; e toda a decoração de bandeirinhas foi adaptada das fitas espanholas; além disso tudo, há aspectos dos demais países latino-americanos e de toda a África.

Por isso, mais do que um evento religioso de danças e comidas típicas, lazer, negócios e turismo, a comemoração das festas juninas é, talvez, a maior oportunidade de vivenciar o fantástico resultado da influência de diversas culturas, de todo o mundo, adaptadas à finalidade de comemorar a união e igualdade entre os povos; um jeito ideal de aproveitar amor, amizade e fraternidade em um único lugar. E, se você ainda não encontrou o melhor lugar para tudo isso, eis uma bela sugestão.

 

Os cursos que fazem a diferença no mercado de trabalho

mercado_de_trabalho

Por Denis Le Senechal Klimiuc

Desde sua inauguração, em 2007, a Etec de Sapopemba cresceu em ritmo acelerado, acompanhando as vontades e necessidades de seus alunos, professores e, sobretudo, região na qual está localizada. Hoje, com cerca de 1300 alunos distribuídos em seus cursos técnicos e de Ensino Médio, a Sapopemba vê que seu passado, ainda que recente, gerou frutos inquestionavelmente promissores, seja através dos diversos alunos que seguiram carreiras e criaram exemplos a serem seguidos, seja por aqueles que esculpiram suas formações acadêmicas graças à influência dos colegas de classe e dos inspirados professores.

Com isso, a Etec se orgulha em ter como parte uma comunidade escolar ativa, na qual pais e alunos interagem conosco constantemente, oferecendo melhorias e soluções para crescermos ainda mais. Por sua vez, nosso time docente conta com profissionais de diversas áreas, seguindo as exigências dos cursos ministrados nesta Unidade Escolar, a qual integra-se ao Centro Paula Souza como uma das mais novas e ativas Escolas Técnicas Estaduais.

Uma Etec preparada para o mercado de trabalho

Para saber um pouco mais sobre a Etec de Sapopemba, convidamos você a visitar nossa Unidade Escolar, conversar com nossos professores e funcionários e comprovar que toda a estrutura desta escola oferece, de fato, oportunidades de crescimento e aprendizado a todos os seus alunos. Seja através das inspiradas aulas de Educação Física, que promovem formas de exercícios completos aos seus alunos do ETIM (Ensino Técnico Integrado ao Médio), seja em qual modalidade do técnico for: Administração, Alimentos ou Informática.

Os alunos da área de Alimentos, do ETIM ou do curso técnico, possuem laboratórios completos de panificação,  processamento e microbiologia; os alunos dos cursos de Redes de Computadores e Informática, por sua vez, encontram profissionais gabaritados para transmitir o conhecimento necessário para inserir cada um deles no mercado de trabalho – a aproveitam os laboratórios de informática muito bem, por sinal; já os alunos dos cursos de Marketing e Administração percebem em seus professores a inserção direta ao conhecimento teórico e prático que as áreas de comunicação e gestão necessitam.

Encontre na Etec de Sapopemba, por fim, uma Unidade Escolar preparada com o que há de melhor no mercado de trabalho: o ensino de qualidade superior do Centro Paula Souza, professores preparados para transmitir conhecimento com excelência, estrutura recentemente renovada para permitir ainda mais o aprendizado perceptivo de cada aluno e, é claro, a união de cada mente fresca e aberta que, ao passar pelo Vestibulinho, se prepara para fazer a diferença lá fora!

Um pouco sobre a Etec de Sapopemba

 

Fachada- Etec

Por Denis Le Senechal Klimiuc

No já longínquo ano de 2007, o Centro Paula Souza inaugurou, em 18 de setembro, a Classe Descentralizada Sapopemba, pertencente à Etec José Rocha Mendes, esta localizada na Vila Prudente. Aos poucos, com os primeiros e fundamentais passos dados pela Diretora Sandra Regina Ferraz de Campos dos Reis e pela então estagiária e atual Diretora de Serviços Acadêmicos Flávia Paes do Amaral Cassemiro, a Etec de Sapopemba tomou sua forma e passou a ser uma Etec independente, captando inicialmente 120 alunos.

Com o passar dos anos, nossa Unidade Escolar se tornou referência em toda a região de Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus, liderando a educação da região oferecendo cursos técnicos e Ensino Médio e, em consequência, diversas oportunidades para todos que buscavam por aprendizado gratuito e de qualidade.

Em seguida, o Centro Paula Souza ampliou gradativamente sua grade de cursos e, hoje, a Etec de Sapopemba conta com três modalidades de Ensino Médio, agora integrado a um curso técnico, além dos cinco cursos técnicos na sede e, com suas duas Classes Descentralizadas, CEU Sapopemba e E.E. Stefan Zweig, mais seis cursos técnicos, três em cada uma delas.

Aqui não faltam oportunidades para você crescer cada vez mais

Além de oferecer a oportunidade de mudar o seu próprio caminho, a Etec de Sapopemba conta com o auxílio de diversas iniciativas, compondo seu quadro de oportunidades oferecendo cursos semi-presenciais, como o Teletec, eventos ligados à comunidade escolar e toda a região, como suas festas juninas e “Semana Paulo Freire”, que promovem a ligação entre os alunos e seus trabalhos desenvolvidos e toda a população próxima à escola; além, é claro, da Ação Social, evento especialmente dedicado à comunidade, no qual são oferecidos cursos, palestras, consultorias e diversas outras atividades relacionadas ao bem estar e saúde.

Por isso, há quase oito anos a Etec de Sapopemba cresce em ritmo acelerado, graças à dedicação de seus alunos e professores em oferecer ao mundo pessoas e profissionais melhores, bem capacitados e responsáveis com o desenvolvimento sustentável. Pois, a cada turma que se forma conosco, temos o imenso prazer em dizer que fizemos a diferença no mercado de trabalho, proporcionando seres humanos dignos e competentes, alinhados com o que o mundo tem exigido (cada vez mais) de tantos profissionais por aí.

Mais do que isso, aliás, formamos seres humanos aptos a serem… Seres humanos. Porque o mundo precisa de Pessoas com “P” maiúsculo. E, para nosso orgulho, vemos o belo resultado todos os dias. Assim, somos a Etec de Sapopemba, orgulhosos em ter você como parte desta comunidade.