A importância do currículo para a sua vida

curriculo_na_mosca

Por Denis Le Senechal Klimiuc

Um pedaço de papel. Um amontoado de palavras em ordem fora de padrão textual comum, como uma espécie de labirinto sobre o qual o entrevistador tem acesso a seu histórico profissional, acadêmico e, em alguns casos, pessoal. Essa é a função do currículo, o referido papel cuja função é ser sua primeira impressão. Mas para que ele realmente serve?

Um currículo é, basicamente, onde cada candidato se autodescreve, como uma forma de apresentação às suas principais qualidades, aquelas que levarão uma empresa a contratá-lo. Por isso, antes mesmo de participar de um processo seletivo, você deixará seu currículo em muitos lugares, os quais sequer o chamarão para a próxima etapa. Isso faz parte. O não está em todas as fases da vida. Mas, para se proteger um pouco mais de tanta recusa, que tal se preparar para enfrentar diversos processos seletivos – e, quem sabe, sair vitorioso de alguns?

Veja, logo abaixo, algumas dicas para você montar seu currículo:

Dados pessoais: coloque seu nome completo, idade, e-mail, endereço, telefones para contato. Deixe claro para o responsável pelo processo de recrutamento que você está acessível, que tem disponibilidade, através de seu perfil, para trabalhar. Nada mais incômodo do que não encontrar uma forma rápida de contato com o dono de um currículo.

Área de interesse/Objetivo/Cargo pretendido: vai depender de seu objetivo. Se você já tiver uma função certa em seus planos, coloque o “Cargo pretendido”, se tem apenas um “Objetivo”, como “atuar em departamento pessoal”, descreva-o; se tem uma “Área de interesse”, cujas funções amplas se encaixam em seu perfil, descreva algo como “Administração de Pessoal”.

Formação acadêmica: chegou a hora de colocar as suas principais formações acadêmicas, sempre em ordem inversamente cronológica. Se você tem Ensino Médio completo e essa foi sua última formação, coloque-a como primeira opção. Se está cursando um técnico, coloque-o como primeira função. O último curso deve sempre ficar em primeiro.

Histórico profissional: a regra acima vale para este caso também. Coloque toda a experiência profissional que for conveniente para o seu futuro emprego! Ou seja, nada de colocar aqueles banhos e tosas que você fez se quer se candidatar para um emprego na área de alimentos!

Cursos: fez informática? Libras? Seis meses de algum curso específico, como redes para computadores? Duas horas naquele curso online gratuito que lhe valeu algum conhecimento? Este é o espaço para isso!

Línguas: aprendeu inglês? Espanhol? Qualquer outro idioma? Tem experiência em outra língua de alguma forma? Especifique aqui e ganhe pontos na hora da seleção.

Trabalho voluntário: atuou como ajudante em alguma construção beneficente? Participa de grupo que ajuda crianças carentes? Faz recreação com idosos em um asilo? Aqui você descreve o seu trabalho voluntário.

Carta de apresentação: se você ainda não tem experiência profissional alguma, se possui poucos cursos e está prestes a terminar o ensino médio, faça uma carta de apresentação ao invés de montar seu currículo. Nela, você coloca seus dados, experiências e descreve as qualidades que podem ser úteis profissionalmente sem montar um currículo raquítico.

Lembre-se de que os exemplos acima são apenas parte de uma estrutura de currículo. Outras formas existem e podem se encaixar melhor em seus objetivos. Procure um dos professores da Etec de Sapopemba, como os dos cursos de Recursos Humanos e Administração, e tire suas dúvidas!

Anúncios